sexta-feira, 24 de abril de 2009

Viva la Vida!


Vai até parecer bobo ou então um clichê dos mais básicos, mas porque hoje é sexta-feira e porque em alguns momentos do meu trabalho eu tenho essa forte e real sensação de que a vida está sempre por um fio, eu digo para quem aqui passa:

Viva a vida, sorria, não torne pequenas dificuldades diárias em problemas da vida. São apenas obstaculos pequenos. Não são nada.

Valorize que você está aqui, agora, nesse momento, lendo esse post com ar nos pulmões, com saúde, com uma perspectiva de futuro pela frente. Lembre que isso é o valor mais precioso da vida e que o resto é bobagem.

Lembre que vem um fim de semana por aí e você pode sair, se divertir, rir, ter autonomia, dirigir ou não, dançar ou não, beijar ou não, chorar ou não.

Lembre que estar vivo e ter saúde é uma benção. Mesmo. Eu vou tentar não esquecer disso também. Esse é meu compromisso comigo e com meu futuro.

Bom fim de semana a todos!

8 comentários:

Paula disse...

Isso, os probleminhas diários não são nada. Mas às vezes a gente esquece disso, né? Olha tudo com lente de aumento. Credo!
Enfim! Temos que lembrar do que realmente importa.
Não lembro onde que eu li que "o que é clichê é sempre verdade!". E não é que é mesmo?
Simbora!
Bom fim de semana!
beijos

Luciane disse...

Isso aí Paula! Beijo pra ti, Lulu!

Wania disse...

Oi, Luciane...
É sempre bom ler isso pra gente não esquecer que, apesar de todas as pedrinhas do caminho, viver vale à pena!
Um beijo grande e um ótimo final de semana pra ti... vivendo tudo o que a vida tem de bom!

Marilu disse...

Oie ;)
Sempre bom relembrar isto ;)

Tava agora ouvindo a música do Jota Quest
"...
Vivemos esperando
O dia em que
Seremos melhores
Melhores no amor
Melhores na dor
Melhores em tudo
...
"

E esquecendo de viver e AGRADECER pelo presente ;)
Bom finde pra você tbém, bjo.

Luciane disse...

Dias melhores para sempre,...
Adoro essa música! Beijos gurias!

Renata de Aragão Lopes disse...

Um puxão de orelha coletivo! (risos)
E sempre oportuno.
Obrigada, Luciane.

pensar disse...

Oi Lu,

Eh bom nunca nos esquecermos disso mesmo, mas isso me lembrou um poema meu:

O fio
Um fio me transcorre
Navego ao infinito, retorno ao porto
vou para o mato, sou vivida
pulo de cachoeira, entro em cavernas,
aprecio a natureza por de baixo da queda d`agua
energia de alegria, mistério de não influencia
magia de beleza, perfeição!
Em meio a tanta sintonia uma enxurrada de amor
Um tanto se precisar que já se foi precisando
O teu fio

Um fio me (trans)corre
e uma linha não se rompe
a verdade minha que emerge
e sangro em gotinhas quase imperceptíveis
que já percebendo
troco de pele, fico desnuda
derrubo o palco e sou minha plateia
sensível, sensitiva
sem forma, se faz caminho
para assim crescer.

Não aceito o assim se deu, mas assim se quis.
O fio nos transcorre.


Mariana Cadore

Bjs

Luciane disse...

Obrigada Renata! É sempre bom lembrar, né? É um puxão de orelha em mim mesma, constante!
**
Que otimo, Mari. Esse fio que tu fala liga todos nós... Beijos pra ti!