quinta-feira, 9 de abril de 2009

Stand by me

Que delícia ser assim ridícula... Estupidamente ingênua a ponto de me expôr ao real assim nua e crua.

Choro feliz porque estou sendo ridícula e patética. Sentimental demais.

Choro feliz porque senti a emoção hoje, junto com minhas colegas de trabalho, pelo bolo de chocolate de páscoa recheado de carinho que ganhamos de nosso paciente. Choramos juntas, confidentes, apaixonadas pela vida.

Choro feliz no abraço forte e envolvente que ofereci a uma pessoa a quem até pouco tempo eu queria tanto que confiasse no meu trabalho mas era eu quem nunca havia dado espaço para isso. Hoje, ela contou comigo e chorou no meu ombro. E eu chorei junto, de verdade.

Choro feliz porque ando insistindo em portas fechadas mas que se fecharam porque eu nunca bati com firmeza e confiança. E agora, mesmo fechadas, só quero tocar a campainha e avisar que eu estou aqui e que eu posso. Só quero anunciar, nem que seja através de um bilhete debaixo da porta, que minha honestidade agora não é mais um exercício ou uma prova. Agora ela é um dever que eu assumi comigo e com as pessoas que eu amo. Se a porta abrir ou não, não depende de mim, mas o recado ridículo, ingênuo e patético foi dado. E fui eu quem falei, com minha voz, com meus olhos.

Eu quero me meter com as pessoas, eu quero chorar junto, eu quero derramar confidências, eu quero rir desgraças, mas eu quero viver junto. Eu quero me expor, me doar, ser digna do amor que eu tenho para dar e do amor que eu quero receber.

Hoje eu sou ridícula. E que sensação maravilhosa. Porque não tenho mais vergonha de mostrar o que eu quero. E mal posso acreditar que estou mesmo conseguindo fazer com quem as pessoas sintam de verdade que podem contar comigo.

Essa é a minha páscoa. Esse é o meu renascimento.

7 comentários:

Flavio Ferrari disse...

De ridícula não tens nada ...
Beijo e Feliz Páscoa.
(mas aproveita para rir bastante também)

Luciane disse...

Valeu, Flávio...mas estou me sentindo corajosamente ridicula. A sensação é diferente. É boa. Ser ridícula às vezes é ser grande... Obrigada e um lindo feriado pra ti também!

Nadia lopes disse...

Também chamo de ridiculas minha emoções expostas e meus sonhos ingênuo qi]uando voltam, mas estou acreditando que estou sendo dura, severa e auto-cítritca...e ridiculo mesmo seria não ser..
beijo e feliz páscoa!!!

Flavio Ferrari disse...

Feliz daquele que aprendeu a rir de si mesmo ...

Cínthya Verri disse...

Não conheço outra maneira.
Benvinda.
Beijo meu pra ti

Luciane disse...

Vocês tem razão. Não tem outro jeito senão rir de si mesmos e sermos assim, assumidamente ridículos. Ainda bem. Bjos

fale com ela disse...

"Eu quero me meter com as pessoas, eu quero chorar junto, eu quero derramar confidências, eu quero rir desgraças, mas eu quero viver junto".
É isso, Lu. Eu também quero!