quarta-feira, 27 de maio de 2009

Meus sapatinhos de rubi

Venho aprendendo com a poesia que a grande arte da vida, o que nos torna grandes, é a simplicidade. No seu significado também mais simples. Apenas ser o que se é. Apenas respirar. Viver os dias. Ser meu próprio lar.

E por ser essa uma conquista tão grande, é a mais dificil, justamente por ser o que está debaixo do nosso nariz. E a gente sempre procurando lá longe, em algum lugar intangível. Como quando a Dorothy sai para buscar o grande Mágico de Oz, o detentor de todas as respostas, e elas já estavam todas bem debaixo de seus pés, em seu sapatinho de rubi, o tempo todo.

Eu quero ser simples. Sem grandes elocubrações. Sem buscar respostas em grandes mágicos até porque no fundo, bem como no final do filme, quem se julga ou se diz grande mágico não passa de um anãozinho inseguro e metido a besta, escondido atrás da cortina.

Sigo aqui batendo meus sapatinhos um no outro e repetindo a frase: "Não há melhor lugar no mundo do que a minha casa".

6 comentários:

pensar disse...

Oi Lu,

Quando a gente mesmo le o texto e tenta entender o q quis dizer, muitas vezes acho q isso eh a profunda poesia - estamos na nossa real casa, ser sendo, onde nao ha uma mente que elabora premeditada-mente onde há um existir há um sentir, há a vida acontecendo e no unico tempo possivel,agora.Calma ai deixa eu ver se eu entendi o q quis dizer.Hhehehhe

Um otimo dia p ti.

Bjs

Luciane disse...

ahahaha. Adorei o comentário!
Eu tambem tive que ler ele duas vezes, confesso. E não sei se entendi! :P
Bjo

Monica disse...

Cuanto han caminado esos zapatos rojos,pisando quizá ilusiones o escapando de las realidades o entrando a castillos encantados,viviendo en el mundo de los sueños.
Un poco es lo que todos deseamos y nuestra casa es a veces el castllo donde nos encerramos para seguir soñando.
¡Hermoso blog!
Linda escritura,me anoté para seguirte.
Cariños desde Argentina.

Luciane disse...

Gracias, Monica! Que lindo teu comentário... Só por ser em Espanhol já é lindo, mas o que tu diz é poesia. Obrigada pela visita! Apareça bastante! cariño de Porto Alegre!:)

CeciLia disse...

Nossa, essa frase bem poderia ser dita por mim: não há melhor lugar no mundo do que o ninho da gente! Eu, ermitã-sem-culpa, cada vez mais acho isso. Beijos, Lu, bom final de semana. Acho que teu post sobre a simplicidade é talvez o oposto da melancolia dos Viejos lá do Lua. De qualquer forma, como teu post sobre a felicidade e os filósofos me fez pensar, quantas faces, mesmo, tem uma verdade? Fica bem, querida.

Luciane disse...

Beijo, querida CeciLia! Obrigada pelas visitas e comentários que sempre me enriquecem mais!