sexta-feira, 5 de junho de 2009

Prolixidades


Eu tenho adorado blogar, como todos já perceberam. Inclusive uma frase que já escrevi dizia que tenho que aprender a ser concisa sem ser prolixa. Não é fácil dizer coisas inteligentes, precisas e úteis em poucas frases. Como tudo na vida, o mais complexo é ser simples.

E eu sou prolixa, tenho dificuldade em transmitir o que desejo em menos de alguns parágrafos. Não sei por que. Mas eu, que sempre sou um furacão de idéias e opiniões, ando meio quieta. Ando sem saber o que escrever aqui. Eu, que posto praticamente todos os dias.

Mas resolvi começar a escrever alguma coisa mesmo assim, sobre esse vazio que eu ando sentindo nas idéias a serem aqui publicadas. Mas não é propriamente um vazio, porque isso dá a idéia de não se ter nada. E não é assim que eu sinto. Eu sinto que estou cheia de idéias, sentimentos e novidades que ainda não se anunciaram nem a mim mesma. Estou na espera. Mas não uma espera passiva. Uma espera ativa e reflexiva, que vem acompanhada de tolerância, paciência, controle e calma.

Não é fácil lidar com momentos em que estamos mais "para dentro". Nada do que venho pensando, sentindo ou descobrindo atualmente cabe publicar aqui, apesar deste ser um espaço também de desabafo, obviamente tem certas coisas que a gente aprende a suportar sozinha porque há que se resguardar. Muitas vezes penso que o blog funciona como esse espaço de "descarrego", onde não há julgamento direto (obviamente ele existe sempre, mas eu não enxergo e isso torna tudo mais fácil), mas acho que uma das grandes lições da vida, pelo menos para mim, é aprender a se suportar, se bastar, se conter.

Bom, ao menos postei alguma coisa.

Amanhã estarei em Gramado falando mais uma vez, ora vejam, sobre resiliência. Porque, no fundo, a gente fala sempre sobre o que precisa aprender e reforçar em nós mesmos.

4 comentários:

Henrique Crespo disse...

Sei bem do que está falando.

Quanto a ter que ser útil no que escreve; esqueça isso. Não pense na utilidade ao escrever. Até porque o escrever já está sendo útil pra vc que escreve.

beijos

Renata de Aragão Lopes disse...

Vazio aparente...
Sua frase, ao final, deixa-nos uma reflexão prontinha!
Bom sábado pra você!

pensar disse...

O q tu diz ser vazio, esta cheio de conteudo nas entrelinhas, basta o bom leitor saber ler.E o bom eh ler assim:"alvejado"(lancei a palavra para um olhar em branco, sem julgamentos).
Aproveita Gramado entao.
Bjs

Luciane disse...

É, Rick. Às vezes faltam as palavras, mas concordo contigo. Só o fato de vir aqui escrever me fazer bem já basta. Bjo!
***
Valeu, Re! O vazio é mesmo aparente, e cheio de oportunidades! Bjão!
***
Alvejado no sentido de alvo, transparente. Gostei! E foi ótimo lá em Gramado! Bjão!