quarta-feira, 17 de junho de 2009

Parto

Nada do que digas pode doer tanto do que o silêncio da palavra engolida.

Nada do que eu fale pode arranhar tanto do que os gestos que já abortei.

É preciso renascer.

8 comentários:

Carol Passuello disse...

Profundo!

Nádia Lopes disse...

lavar com Comfort o corpo
com Omo lavar a alma
deixar de molho a cabeça
com Qboa, pra clarear...
amaciada, branca, alva
se pode recomeçar...
também estou tentando...rever gestos abortados (adorei a figura)
beijo

Luciane disse...

obrigada, gurias!
Beijos

* Bela* disse...

Olá, passando pelos blogs, achei o seu e gostei muitooo!

Vou deixar uma frase de um texto que fiz que parece com o seu texto...

"Tudo o que cala grita na alma e nos faz ler nos olhos o que a falta de coragem e de verdade esconde nos lábios.
Perdemos mais tempo proferindo palavras mal-ditas e escondendo nos olhos as verdades incapazes de serem ditas."
(By Desireé Nunes)

Verdadeiramente o silêncio diz mais que mil palavras e o olhar sempre dirá por cada uma delas, mesmo que não pronunciadas!

BjãO =)

[Venha deixar seu brilho no meu glamour dos sentimentos e embeleze sua alma nesse dia!]

Denise disse...

Ha coisa mais dolorida que a indiferença da palavra não dita?

ando em cismas.

mas vim "te ver" rs

beijo

Denise

Luciane disse...

Oi Desireé! Obrigada pela visita. Realmente teu texto fala muito do que falei nessas minhas curtas palavras. Vou lá te visitar também! Apareça!
***
Oi Denise! Mesmo cismadas, frente à indifereça, temos sim que crer e ver! Bjo!

pensar disse...

Nada mais importante que a palavra nao dita neh!Por isso me cobro por dizer, por isso me cobro por ouvir os olhos e sentir a vida, por isso quando o silencio nao incomoda eh amor.
Bjs

Luciane disse...

Mari, concordo muito contigo. Poder estar confortavel nos silêncios, em dupla, é amor.