segunda-feira, 29 de junho de 2009

Nossa natureza selvagem

Um jovem desesperado em busca de sua liberdade e de tentar encontrar sua verdadeira essência. Esse é o tema do filme "Na natureza selvagem", que eu assisti pela terceira vez e como café da manhã no meu sábado.

Ele retrata a busca que, na verdade, é a de todos nós (ao menos deveria ser), mas que não paramos muito para pensar nela em nosso dia a dia. Até porque, pensando lá na sublimação que falei há dois posts atrás, precisamos nos adequar à sociedade, às normas. Precisamos de dinheiro, de bens materiais para sobrevivermos. Mas não é isso que alimenta nossa essência. Foi aí que o jovem Chris McCandless, que realmente existiu, cometeu seu erro. Ele se perdeu em sua própria busca e foi vencido pela natureza.

Não precisamos nos isolar no mato, em meio aos animais e nos alimentarmos de plantas para provar a nós mesmos o que nos é vital. Quem sabe, sabe. Quem não sabe ou está ainda procurando saber ou então vive em seu mundo de mentira ou ilusão e deve viver confortável dessa forma. A escolha é de cada um e toda a escolha é nobre, desde que se siga o próprio critério e se esteja realmente consciente dela, escolhendo ela.

A única coisa que permanece (e essa sim é real e incontestável) é a grande descoberta que o personagem teve que fazer a duras penas. De que não podemos ser felizes sozinhos. De que precisamos do outro. Ele escreve, em seu diário, momentos antes de morrer:

"A felicidade só é real quando compartilhada"

Isso é tudo. Essa é nossa natureza selvagem. Estar perto de quem a gente ama. E não devíamos nunca nos esquecer disso...porque amar alguém de verdade é raro.

P.S. Além de tudo, a trilha sonora do filme é de arrepiar, em letras e melodias. Foi toda composta e cantada pelo Eddie Vedder, vocalista do Pearl Jam. Imperdível!

5 comentários:

Mariana Botelho disse...

oi Luciane,

esse filme é incrível, tocante, emocionante.

Luciane disse...

É mesmo, né, Mariana? E depois fui ver que no teu blog também tem um post sobre esse filme, que tu escreveu há n]ão muito tempo. As sincronicidades dessa vida... :)

Nádia Lopes disse...

ah , Lu lembro bem quando vi esse filme e o tanto que me mexeu, até escrevi sobre, se achar te mando...com certeza é um filme pra se (vi)ver!
beijo

marcelo disse...

Amar a natureza de alguém de é selvagem!

Luciane disse...

Ah, manda para mim se tu achar, nádia! Quero ver! Bjo!
***
Disse tudo, mano!