segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Fragmentos de escritos...

Se meu corpo falasse a língua dos homens
Eu jamais seria discurso.
Seria poesia, não prosa.
Seria profunda, não superficial.

Minhas células estariam cantando
Minha pele emitiria notas musicais
Tão suaves que poderiam compor
melodias harmoniosas e macias.

Meus olhos, ao piscarem,
seriam como batidas leves
dando ritmo a uma dança sem fim.
Meu sangue correndo nas veias
emitiria um som de mar em ressaca,
aquela boa, intensa, visceral.

Meu corpo é som.
Minha alma é música.

Sou uma composição feita por mim,
instrumento dos meus sonhos.
Melodias com tantas letras.
Meu corpo é canção.

Por isso não adoeço.
Por isso sobrevivo.

Porque quando chega o pranto,
Viro melodia, todo dia
e me torno en-canto

5 comentários:

Daniel disse...

tu já tava na minha playlist mesmo. e no repeat.

Nadia lopes disse...

LINDA continue sempre, eternamente EN-CANTADA!!!
Que coisa mais triste do mundoé ter uma emoção e deixar ela secar, calar!
beijo e um 2009 MARAVILHOSOOOO!!!

Luciane disse...

Eba. Agora é deixar o som rolar... ;)

**

Nádia, querida, a gente vai en-cantando vida afora e tentando sempre ser feliz!! Um lindo ano pra ti e para tua Alice.

convulsão disse...

Bom Lu!! Muito bom!! Gostei dos últimos posts! Tocante no sentido musical e corporal!

Luciane disse...

Valeu, mano amado! Teu estímulo é sempre vital para mim. Vê se te inspia e também coloca esse mundo lindo que tu tem aí dentro em palavras. :)