segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Das coisas boas que a chuva não leva


Esse final de semana de praia, curto mas que valeu por semanas, já me trouxe aqui de volta a pensar.

Uma das coisas que mais eu penso nessas viagens curtas assim, e que são mais para "longe" do que a lógica te mandaria ir por apenas dois dias, é que a gente esquece o quanto é fácil fazermos mais da vida, sairmos mais do lugar, nos divertirmos mais, e que muitas vezes é a nossa inércia que nos impede de ter mais diversão na vida.

Sempre que eu estou em Porto Alegre e penso em ir até Santa eu penso, "Bah, mas só por um fim de semana, a estrada ainda não tá boa, é tão longe...", bla, bla, bla. Depois que chego lá, mesmo que seja no sábado de manhazinha, e passo um dia leve, ou piso na areia e dou UMA caminhada na praia, meu pensamento automaticamente passa para "Bah, eu poderia ir embora agora que já teria valido a pena".

Ontem até às 8 da noite eu estava em Santa Catarina. Hoje, 8 da manhã, já estava aqui em Porto começando minha semana bem feliz. As coisas não são difíceis. As coisas são muito simples, na verdade. A gente é que complica. E olha que o sábado inteiro foi de chuva e mesmo assim eu poderia ter voltado sábado e já teria valido a pena. Sair do lugar, pisar na areia, conhecer melhor as pessoas com quem convivemos, fazer novos amigos, ter a felicidade de acordar no domingo e vibrar pelo simples fato do sol estar brilhando já é tudo.

Praia, amor, amizade, gratidão e alegria são algumas das boas coisas da vida que não tem chuva que leve.

Amem.

2 comentários:

Nadia lopes disse...

Lu
fico feliz que a nuvem escura de sexta se desmanchou e virou umsol abençoado no domingo!
Se eu posso te dizer alguma coisa aqui "do alto dos meus 45' é que a vida é esse caminhar e seeeeeeeeeeeempre vale a pena!
beijo grande
FORÇA NA PERUCA E NO SALTO 15..que aconteceu com a mãe?

Luciane disse...

Nadia, querida!
Não adianta, o sol sempre prevalece no final.
Já tá tudo voltando ao normal na família, obrigada!
Beijos!