segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Sentido


Antes a visão
era surda
o ouvido, cego
o gosto arranhava
e eu ainda sorria

Agora os sentidos
voltaram aos seu lugares
e o meu sexto me diz:
Renova e cresce

7 comentários:

Lara Amaral disse...

A ordem natural das coisas nos chacoalha.
Beijos, moça.

Luciane disse...

Ainda bem, né, Lara?
Bjos e que boa tua presença por aqui! :)

Wania disse...

O sexto sentido nunca erra...

Bjs, Lu querida!

Filipe disse...

Inspirado nesse seu poema todo sensitivo e sensível, tirei um meu da gaveta pra colocar no AS OUTRAS PALAVRAS.

Adorei, Luciane!

=))

Beijocas!

Renata de Aragão Lopes disse...

Fenomenal, Lu!
Os sentidos fora de órbita!
E o sexto... apuradíssimo!
Um beijo.

Luciane disse...

Com certeza, Wania. Eu confio no meu também! Beijo!
***
Que legal, Filipe, vou lá ver! Obrigada! Bjo!
***
Ah, Re, esses elogios vindo dessa super poeta me enchem de alegria. Valeu, guria! Beijos!

Cristiano Siqueira disse...

Luciane! Dá-me tuas palavras e toda tua nua sinestesia... Belo poema! 12 beijos 1 abraço.

Cristiano Siqueira