sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A cura


Não é mais o teu olho que me sara
Agora o mundo é meu espelho
Não necessito do teu conselho
Porque sou eu quem me ampara

Recolhi as velas ao meu vento
Porque é só fechando meu corpo
abrindo mão do que chegou torto
que posso me acarinhar por dentro.

Sarar não é o mesmo que arder
Porque o que sara nem sempre cura
E não se sabe o quanto a vida é dura
Até viver a nobre lição do perder.

8 comentários:

Wania disse...

Liiiiindo, Lu!!!

Porque sou eu quem me ampara

Descobriste a cura!!!


Bjão carinhoso pra ti

Luciane disse...

Obrigada Wania, querida! Não sei se já descobri, mas que eu tô quase ah isso eu tô! :)
Que bom te ter aqui!

Tess FashionBiz disse...

Adorei i teu recadinho pra mim no blog da minha empresa. Vou te colocar na listinha de favoritos! Eu nem sabia que tinhas blog.
Obri pelo carinho!
Beijoooo!

Renata de Aragão Lopes disse...

O que sara
nem sempre cura...

Verdade...

Beijão, Lu!

SickBoy disse...

ExorcizaR sara mesmo. Isso que te cura Luciane. Lindo, direto, tocante. Espero que tenha escrito pra ti...do contrário não sara. beijo

Luciane disse...

Que bom, Débora! Foi de coração! Bem-vinda por aqui!

Só sarar muitas vezes não é o bastante né, Renata? Obrigada por estar sempre por aqui!

Tudo isso aqui é para mim, boy. Um lugar para expressar o que é de mais meu. Ou demais meu. Que bom que tu gostou.

Beijos

Du... disse...

Para algumas coisas realmente nao há cura apenas saram , param de sangrar , mas ficara ali pra sempre...

Luciane disse...

Sim, Du, mas se a gente não trasnformar as dores em algo novo vamos só ficar presos no que perdemos, e nada de novo poderá surgir!