quinta-feira, 26 de março de 2009

Farol

Essa então é tua vida? Assim que tu tens passado os teus dias? Estás com fome de que? Venho te observando de perto e sei que tu não estás tão bem quanto gostaria. Sei também que esse teu mal estar de certa forma sempre foi desejado por ti. Tu que sempre parecia contente aos olhos do mundo. Agora o mundo sabe que não és sempre contente. E que não és sempre boa ou lógica.

Vais fazer o que com isso agora?

Onde vais colocar tua angústia? Eu sei o quanto dói perceber que se quisermos nossa vida vira um teatro. E o quanto dói não fazer essa escolha. Optar pelo real e pelo cotidiano. Suportar os próprios fantasmas. Suportar o anonimato da dor.

Mas tens um mundo lindo dentro de ti. E eu sei que tu sabe disso. Sei que tu sabe que tu ajuda as pessoas, mesmo que tantas vezes tu leve um alento que não te acalma. Agora tens que saber te ajudar. Escolher as palavras certas para tuas interrogações. Oferecer o sorriso certo para tuas incertezas.

Então fazes poesia e tem um mundo todo de palavras não ditas. Não importa o quanto és boa nisso ou não. Mas estás aprendendo. Estás no caminho. Vejo que começastes a perceber que a raiva também ensina. E que ser odiada ou invejada não faz mal algum, pelo contrário, até pode ensinar alguma coisa.

Fica calma, minha irmã. Segue com serenidade e tempestade teu caminho. Não te assusta. Eu estou contigo. Peça ajuda quando precisares mas saiba ser tua própria conselheira. Às vezes conselhos alheios são perigosos. Talvez até esses aqui o sejam.

Confia no quanto tu te conhece.

Confia e navega.

2 comentários:

Nadia lopes disse...

LU
estava agora te lendo e lembrei de uma frase que eu acho ótima, talvez não tenha muito a ver,mas essas coisas de associação são assim ou talvez por que sejamos muito drásticos conosco ás vezes , aqui está ela:
"perdoa quem errou, não seja assim tão drástico, eu mesmo já vi um beija-flor, beijar uma flor de plástico"...Talvez o farol do beija-flor seja só o cheirinho ou seja a cor,ou seja só o gostar de beijar...beijooooo

Luciane disse...

É, Nádia. Associações são assim. Talvez tenha mais a ver do que tu pensa. Cada um tenta encontrar o seu farol, e ele às vezes pode ser falso, de plástico, ou até mesmo uma ilusão. Mas isso é o que menos importa. Ter um farol no meio de uma tempestade é tudo.