quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Pobre Narciso

O grande golpe foi quando descobriu que era ele quem estava preso dentro das águas do rio. Apenas uma imagem encapsulada, refém da estiagem que não tardaria em chegar.

8 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Descobrir-se aprisionado
é um fardo...

Boa reflexão, Lu!
Um beijo.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Narciso é o patrono dos cosméticos.

beijóKawanami

CeciLia disse...

Lu,

Teu Narciso aprisionado é tão triste quanto belo. Como todos os papéis, escolhidos ou não.

Deu o que pensar, querida. Vou levá-lo de tema pra casa. João Rudá adorou tua visita.

Beijos,

Luciane Slomka disse...

Com certeza, Re. E quando achamos que o belo é o que está fora ficamos reféns das estiagens. E nunca olhamos para dentro... Beijo!
***
Tudo culpa dele, Marcos! :)
***
Querida, boa é tua visita aqui também. Que bom que te provoquei... :)
Beijo grande!

Pilar disse...

oi Luciane.

vim parar aqui pelo blog da Kelen, sou meio viciada em blogs. : )
bem legal, parabéns.

peguei emprestada uma das frases ali de baixo, de vanilla sky.

Do you remember what you told me once?
That every passing minute is a another chance to turn it all around.

beijos

Luciane Slomka disse...

Oi Pilar!
Bem vinda! Também me viciei nessa história de blog, como tu deve ter notado!!! :)
Pega emprestado o que te servir, porque na verdade tudo aqui deve ser emprestado de outros lugares pelos quais passei ou talvez nem tenha passado ainda...
Volte mais vezes, viu?
Beijo

Kenia Cris disse...

É, o que fez Narciso perder o chão, foi o medo de perder o lago.

Também escrevi sobre influência do mito, se quiser dar uma olhada, segue o link, mas não é nada tão profundo como o que você escreveu, é só uma bobagem. Beijo carinhoso!

http://poesiatorta.blogspot.com/search/label/Narcissus

Talita Prates disse...

Que reflexão, Lu!
Muito sensato esse ângulo.

Bjo!