terça-feira, 3 de novembro de 2009

Drive with your mind

Feriado com direito à praia mas, consequentemente, algumas horas de estrada e mais consequentemente ainda, algumas oportunidades de reflexão.

Enquanto dirigia e ultrapassava, comecei a perceber o quanto nossa vida e forma de viver podem ser relacionadas a uma viagem dessa natureza. Claro, viagem nas estradas brasileiras, porque se fôssemos falar das auto-bans européias a vida seria bem mais fácil...mas muito mais rápida.

A cada ultrapassagem que eu fazia ficava aliviada pensando: "Ufa, ultrapassei esse caminhão lento, agora foi". Alguns metros adiante, outro caminhão e vários outros carros que, como eu, queriam chegar o quanto antes ao destino. Então, cada ultrapassagem é um esforço e tem que ser curtida, tem que ser um esforço, mas não adianta vibrar muito porque logo ali em seguida haverá outros, e o caminho nunca estará completamente livre para que aceleremos na velocidade que gostaríamos. E não é assim na vida também? Cada desafio ou cada problema que enfrentamos pensamos: "Quando isso passar, daí sim tudo vai ficar bem, daí sim vai dar certo, daí sim chego onde eu imaginei". Mas então outro caminhão aparece e temos todo o esforço de novo. Mas dirigir na estrada não é uma delícia? Quando a estrada está muito vazia, muito reta e muito igual não dá um sono? Pois é. Se na vida também não tivéssemos nossos caminhões iríamos dormir mais cedo. A adrenalina da ultrapassagem é que nos mantem vivos.

E aí, quando já no meu destino, conversando com a minha mãe sobre a vida e coisa e tal falavamos sobre o tempo e as oportunidades, quando ela diz: "e a vida passa tão rápido, e é só uma". Apesar de ser uma colocação das mais óbvias, dessa vez ela ficou retumbando na minha cabeça. E logo me veio a palavra que tem a ver com meus devaneios rodoviários: Velocidade.

Qual é a velocidade certa de uma vida? Daí pensei que na fase de vida que eu me encontro eu quero começar a ver as coisas acontecerem mais rápido. Quero crescer profissionalmente, emocionalmente, afetivamente, construir uma família, poder conquistar tantas coisas que eu sonho...e a medida que os anos passam vamos tendo mais pressa. Mas o que mais vou tendo certeza é que quanto mais pressa temos menos conseguimos isso. Mas não dá para ficar parado também! Então, qual é a velocidade certa?

Por enquanto eu ainda não sei. Na estrada temos pardais, controles de velocidade, limites. Na vida, não temos como medir essa velocidade, mas somos, e muito, multados por nossas infrações. Só sei que é preciso continuar com o motor rodando e que, assim como na estrada, muitas vezes a pressa pode ser fatal.

Sigo em viagem.

12 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Gostei da ideia:
"A adrenalina da ultrapassagem
é que nos mantem vivos."

Mas confesso
que tenho desejado
menos adrenalina
nos últimos tempos...

Desacelerar
é minha palavra de agora!

Beijo, querida!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Luciane,

Curiosa analogia, e a referência às Auto-Bans me lembra que na Suíça acontece muito suicídio por falta de sentido na vida, muito organizada.


=D
Marcos

zaine disse...

Nossa,
que maravilha adorei tua comparação porque é exatamente assim nossas vidas , nosso dia dia ,sempre quando estamos com nossa adrenalina á mil,encontramos nos nossos caminhos não pardais , mas pessoas que não aceleram , e querem que nossa velocidade seja diminuida achando que nossos motores não estão capacitados para grandes ultrapassagens .bjos

Luciane Slomka disse...

Oi Re! Pois é. Ando justamente na fase em que percebi que a pressa muitas vezes faz a gente perder a oportunidade de curtir as paisagens do caminho. Então, desaceleremos! Beijão para ti, querida!
***
É mesmo, Marcos... Vida muito organizada as vezes não traz vida. Abraço!
***
Zainocaaaa! Que honra teu comentário por aqui! Adorei! Beijos e escreve mais!

Kelen disse...

Vou te emprestar meu livro "Devagar", se é que tu ainda não leu. Confesso que as vezes ele me irrita um pouco (provavelmente pela minha eterna pressa...) mas é bom demais.

Lara Amaral disse...

Suas analogias foram incríveis.

Vesti este texto como se fosse meu.

Adorei!

Beijos e "boa viagem"!

marcelo disse...

A impaciência atrasa a vida...

Wania disse...

Lu, que difícil isso!!!!
Será que encontramos uma velocidade perfeita para todo percurso?????

Acho que é a estrada que vai dando as pistas, literalmente...rsrsrs!


Lindo teu texto (como sempre), rendeu boa reflexão!

Bjão

PS: respondendo a tua pergunta do meu comentário anterior: vamos fazer, com certeza, novas Oficinas com Fabrício ou com outros de igual valor! Não podemos perder o contato, prezo muito a nossa amizade! Será que vai ter BIS de Picada Café??? Bem que poderia sair uma edição de poesia, hein???? O que acha da idéia????

adri antunes disse...

ultrapassar é tão difícil, seja um carro, um caminhão ou um obstáculo. acho que as pessoas tímidas sofrem mais com isso. mas concordo, sem a ultrapassagem não se pode seguir a diante! por isso, acho ótima a ideia de ultrapassarmos a barreira do virtual e se encontrar na feira do livro :)
domingo, dia 08 vou estar pela feira, o dia todo, quem sabe a gente se encontra? que te parece?
me manda um mail:
antunes_adriana@hotmail.com

bjuuu enorme e obrigada pela sempre visita lá na minha casa-blog!

Luciane Slomka disse...

Kelen, me empresta? MAs me empresta logo, porque eu tenho pressa em aprender a ser paciente! :P
***
Oi Lara! Que bom que essa roupa te serviu! Obrigada! Beijos e venha sempre! Boa viagem para nós!
***
Verdade, Marcelinho. Bem verdade...
***
Oi Wania! Obrigada pelo comentário e acho a idéia de Picada Café + Poesia fantástica. Podiamos escrever para lá sugerindo hein? Beijão e saudades!!
***
Vamos ultrapassar a barreira virtual então, Adri! Te mando um e-mail e domingo nos "pechamos" lá!!! :) Beijos!!

Dona ervilha disse...

Também ando com esse tema da pressa na cabeça faz uns dias... mas é difícil desacelar quando tudo na volta anda depressa, né?
Se descobrir, me conta!
Beijo

Luciane Slomka disse...

E dificil desacelerar tambem quando a gente tem pressa em ser feliz, né?
A primeira que descobrir conta pra outra, escrevemos um livro e ficamos ricas!!!! :)
Beijão, guria!