quinta-feira, 29 de julho de 2010

Eu aprendi, Clarice



"Não pense que a pessoa tem tanta força assim a ponto de levar qualquer espécie de vida e continuar a mesma. Até cortar os defeitos pode ser perigoso - nunca se sabe qual o defeito que sustenta nosso edifício inteiro… Há certos momentos em que o primeiro dever a realizar é em relação a si mesmo. Quase quatro anos me transformaram muito. Do momento em que me resignei, perdi toda a vivacidade e todo interesse pelas coisas. Você já viu como um touro castrado se transforma em boi. Assim fiquei eu… Para me adaptar ao que era inadaptável, para vencer minhas repulsas e meus sonhos, tive que cortar meus grilhões - cortei em mim a forma que poderia fazer mal aos outros e a mim. E com isso cortei também a minha força. Ouça: respeite mesmo o que é ruim em você - respeite sobretudo o que imagina que é ruim em você - não copie uma pessoa ideal, copie você mesma - é esse seu único meio de viver. Juro por Deus que, se houvesse um céu, uma pessoa que se sacrificou por covardia ia ser punida e iria para um inferno qualquer. Se é que uma vida morna não é ser punida por essa mesma mornidão. Pegue para você o que lhe pertence, e o que lhe pertence é tudo o que sua vida exige. Parece uma vida amoral. Mas o que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesma. Gostaria mesmo que você me visse e assistisse minha vida sem eu saber. Ver o que pode suceder quando se pactua com a comodidade da alma."

6 comentários:

Carol Passuello disse...

Lu,
Eu tardo mas não falho: parabéns!!!! Tudo de bom para ti amiga! Que tu tenhas muita saúde, o sucesso e surpresas na tua vida!
Bjs

Fashion Dream disse...

Parabéns !! Seu texto ficou perfeito *-*
ameeeei ;*
to seguindo *-*
beiijos ;*

Luciane Slomka disse...

Obrigada Carol!!! Senti falta do teu parabens ontem mas sei que tu lembrou e sei do quanto me desejas o bem! Beijao amiga!

Obrigada à nova visitante! Otexto não é meu, viu? É da Clarice Lispector, mas de qualquer maneira, seja bem-vinda! :)

Olhozinho disse...

Oi Lu!
Primeiramente... Que o dia que conta dois dias depois do teu aniversário feliz seja um dia interessante! Depois, quero agradecer esse texto da Clarice, estava precisando dele...
Abraço
Ju

Pilar Martinez disse...

oi Luciane!

adorei o texto, não conhecia! e é a mais pura verdade, temos que fazer com que nossos medos sejam só um alerta, mas não impedimento de fazer o que se quer, ser quem se quer ser.
eu ainda tô aprendendo a viver com isso, acreditar mais, deixar que os limites me podem menos, mas é assim que vai se indo.

já disse que sou fã do blog, né?
beijos

Aline Espíndola e Fabiana Carvalho disse...

Esta Clarice é mesmo demais! Lindo blog! Fabiana