sexta-feira, 30 de outubro de 2009

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

The little things...there's nothing bigger, is there?


WAKING LIFE
* Dream is destiny.

* The worst mistake that you can make is to think you're alive when really you're asleep in life's waiting room.

* The ongoing WOW is happening right NOW.

* The idea is to remain in a state of constant departure while always arriving.

BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇAS
* I'm just a fucked up girl looking for my own piece of mind, I'm not perfect.

* I could die right now, Clem. I'm just... happy. I've never felt that before. I'm just exactly where I want to be.

* McRomance. Want some fries with that shake?

ADAPTAÇÃO
* What I came to understand is that change is not a choice. Not for a species of plant, and not for me.

MAGNOLIA
* "We may be through with the past, but the past ain't through with us."

* In this life, it's not what you hope for, it's not what you deserve - it's what you take!

* I'll tell you everything, and you tell me everything, and maybe we can get through all the piss and shit and lies that kill other people.

BONECAS RUSSAS
* Mr. Everyman is seldom met in... everyday life.

* If I were you I would call me.

VANILLA SKY
* Do you remember what you told me once? That every passing minute is a another chance to turn it all around.

* Relax, David. Open your eyes.

* Just remember, the sweet is never as sweet without the sour, and I know the sour.

* It's been a brilliant journey of self-awakening. And now you've simply got to ask yourself this: * What is happiness to you, David?

* The little things... there's nothing bigger, is there?

terça-feira, 27 de outubro de 2009

A estética do poço

As paredes do meu poço são fundas, marcadas.
Ele foi construído cautelosamente, ao longo dos anos
A cada boicote, a cada falha, mais escavações.

Ele foi construído com cuidado e sem controle
e fica ali, à minha espreita
Quando convoca, mas também repele

Quanto mais fujo, mais preciso dele
Porque ele me acorda e me alerta
Para meus passos não serem fundos demais
Para minhas pisadas nao esmagarem meus sonhos,
Para meu corpo não se distanciar do que preciso

As paredes do meu poço são arranhadas,
Marcadas pela luta das minhas unhas
Não pelas quedas, mas pelas subidas.
Jamais lutei contra as quedas porque
tantas vezes eu mesma me atirei sem saber.

Às vezes o observo de cima,
as vezes nas bordas, às vezes
em seu fundo mais fundo.

Porque só quem conhece
sua parte mais bela e mais suja
pode transformar o poço em posso.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

fôlego


But as long as the questions remain, we are still breathing...

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

CTI

Marcapasso para as batidas
desritmadas pela saudade

Colostomia para os restos
Esquecidos por tua vaidade

Prótese para os estragos
da falta de verdade

Dreno para os líquidos
expelidos na calamidade

Deixaremo-nos morrer assim,
com tão pouca idade?

Descosturas


Se tu soubesses como eu quis te curar. Se eu soubesse desde o princípio que palavras não curam nada. Palavras encruam quando é o corpo que padece. Tu estavas cansada, entregue. Aventurei-me contigo porque sabíamos que tu queria mais do que um corpo doente podia. Querias te reconciliar com a fortaleza que tu criou, derrubar as tuas certezas. E eu fui contigo; apedrejamos, dinamitamos, arrebentamos. Sentimos juntas as escoriações.

Mas era teu o corpo que sofria. E foi ele a barreira final contra a qual nada pudemos fazer. Tu não conseguiu me avisar, ou eu não consegui ouvir. Sei que foi assim. E talvez seja assim simples mesmo. O corpo é sempre nosso obstáculo final, e ele só avisa isso no fim. Eu sigo aqui na minha luta, na luta que fiz contigo, em todas as minhas outras lutas.

Meu corpo segue.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Regra do dia

Hoje eu quero ser simples e pura.
Só.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Quando eu soltar a minha voz...



Eu escrevi duas vezes um texto sobre o poder da palavra falada em relação à palavra escrita para postar aqui. Nas duas vezes, por algum motivo, quando publiquei o post, o texto sumiu. Pensei, pensei, e acho que não teve maneira melhor de comprovar a verdade do que eu estava querendo dizer: Que uma palavra escrita pode até estar eternizada numa folha de papel, num livro ou num blog; Mas a palavra falada, quando bem ouvida, é muito mais imortal... Então, não vou escrever meu texto pela terceira vez.

O que eu vou fazer é soltar a minha voz, e não as minhas letras...

"E se eu chorar e o sal
molhar o meu sorriso
Não se espante, cante
Que teu canto é minha
força para cantar.

Quando eu soltar a minha voz
por favor, entenda
É apenas o meu jeito de viver
o que é amar..."


sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Para uma sexta-feira...

...que já começou bem acordando ao som de Cartola.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

À vista


Aos 12, fiz um óculos de vidro
para fingir que era de grau.
Aos 31, não posso mais
fingir que não enxergo:
Cada escolha é mortal.

domingo, 11 de outubro de 2009

Apenados

Dessa pena que aqui em cima voa
Não venha dela sentir pena
Porque pena é leve
E só quero que de mim ela leve
o peso das coisas que não sou

Tento tudo que puder valer a pena
Porque se és tu quem pena
Por vir de mim o peso que condena
Melhor que voemos nossas penas
 Cada um por sim, apenas.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Um golpe de realidade numa escrita Encantada

Não é (só) corujice, mas também uma inquietação que me faz querer que mais pessoas leiam o post que meu irmão escreveu no blog dele sobre o trabalho que ele realiza. É tocante, belo, e faz a gente pensar.

É literalmente a Macieira atirando seus frutos em nossas cabeças, para ver se a gente acorda de uma vez por todas!

Leiam, comentem, reflitam...

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Respostas para inquietações

Eu precisava seguir levando adiante esse vídeo maravilhoso, descoberta da colega blogueira Adri. Ainda mais quando de forma tão simples, diz tudo...

Antes que seja tarde

Tento escrever mas não consigo. Tantas palavras entupidas na garganta. Trancadas entre meus dedos. Tantas que nessas horas às vezes o melhor a fazer é calar. Porque pior do que falar demais ou calar demais é falar qualquer coisa para distrair, desfocar do que realmente ensurdece. Há que se ter coragem de sempre falar a mais pura verdade; aquela que esteja assim pulsando, pedindo passagem, estourando o coração. Enquanto isso, acho que esse vídeo fala um pouco por mim.

video

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Teu armário sem portas


Teu armário deveria ter portas
Pois as roupas que te cobrem
Precisam ser cobertas de mim

Não verei tuas peças expostas
Para não recordar o que cobriam:
O corpo que me acobertava sem fim

Então tornei-me de mim a denúncia
E não quero mais portas no meu armário
Minhas roupas ao vento e eu nua, crua.

Para que eu mesma me cubra, me cobre,
os sentidos recobre e então finalmente
te acoberte, e seja toda e sempre tua.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Instruções para restos de inverno

Não se engane: o inverno não nos deixou
E nem esse resto de frio a mim te mostrou.

Inverno encolhe, recolhe, escolhe.
Primavera expande, renasce, redime.

Não se engane: Primavera só no calendário
Muitos invernos permanecem vivos
em cobertores guardados no armário.