terça-feira, 9 de março de 2010

Sobre faróis e ferrolhos

Se tem algo que eu adoro fazer e que acho que me ajuda no meu trabalho e na minha vida é usar metáforas. Acho que uma metáfora bem utilizada pode explicar muito, pode tornar as coisas mais compreensíveis, mais visuais, mais palpáveis. Porque às vezes a gente precisa de um pouco de concretude na vida.

Hoje fiz alusão a uma brincadeira de polícia e ladrão para "ilustrar" o momento dificil que uma pessoa vem enfrentando. Porém, nessa nossa "brincadeira" de adultos, nem sempre há quem seja o ladrão para que possamos dele fugir ou atrás dele correr. Muitas vezes a vida nos coloca em situações nas quais fugimos de algo que não podemos enxergar e, consequentemente, não sabemos nem quando estará por perto. Isso assusta. E falei para a pessoa que nessa hora tudo o que a gente precisa é de um ferrolho. Aquele lugar seguro onde não podemos ser pegos. O lugar que nos oferece imunidade. E cada vez mais raramente na vida temos ferrolhos. E esquecemos de como procurá-los e que devemos procura-los. É como se estivessemos constantemente numa corrida de polícia e ladrão, sem saber exatamente quando estamos perseguindo ou sendo perseguidos; e mais, o ladrão pode sempre mudar.

E ontem pensei em outra metáfora de algo que parece que vamos tendo cada vez menos ao longo da vida: um farol. Aquela torre que em meio à escuridão orienta os navios para qual rumo seguir, que confirma se a embarcação está mesmo na rota certa. Não sei o que é mais importante na vida: um ferrolho ou um farol. O que eu acho é que precisamos de todos os recursos possíveis para viver e seguirmos com nossas brincadeiras e nossas viagens. E cada vez mais vamos vivendo e descobrindo que nossos ferrolhos e faróis são lugares que temos que buscar dentro de nós, e dentro das pessoas que amamos e que se mostram disponíveis para isso. Porque, como já dizia o poeta, é impossível ser feliz sozinho.

9 comentários:

Leonardo B. disse...

[numa palavra: touché!]

um imenso abraço, Luciane

Leonardo B.

Janaina. disse...

Sempre necessitamos de subterfúgios para encarar a realidade. Ótimo texto! Bjo!

marcelo disse...

Procurei no dicionário a palavra santuário e veja o que eu encontrei!
Capela onde são guardadas e veneradas relíquias de vários santos.
A parte secreta do templo judaico de Jerusalém.
Fig. Asilo sagrado e inviolável; sede de nobres sentimentos; o que há de mais íntimo: o santuário da sua alma.

Adorei o texto, mas talvez crescer seja sinônimo de soltar os ferrolhos e desistir dos faróis, estamos todos em alto mar e perdidos. We´re fucking Lost baby! Ou será que não? Talvez um meio termo? Acho melhor né? hehehe!
Beijo!

marcelo disse...

Aposto que a frase completa na foto é: "the secret of life is tofu, deal with it!
kkkk!

Wania disse...

Lu

The secret of happiness está, justamente, em saber o exato momento das coisas: quando é hora de se fechar e quando é hora de abrir!
Por isso é tão díficil alcançá-la!

Lindo texto,como tudo que vem de ti!
Saudade enoorme!

Bjssssss

Talita Prates disse...

obrigada por tuas ricas metáforas, Lu.

Bjo.

PS: eu ADORO essa imagem! Acho EXTREMAMENTE significativa/metafórica!

Tam disse...

nem sei o que dizer.
vc ja disse tudo.
obrigada!

Anônimo disse...

Otimo texto. Simbolizas-te bem a rotina de nossas vidas. Que bom se pudessemos saber a hora certa de passar os ferrolhos ou seguir o farol...Voce é D+

Anônimo disse...

Olá Luciane!

Visite nosso blog de Buddhismo, atualizado diariamente.

http://samsaraenibbana.blogspot.com/

No Dhamma,

Blog Samsara e Nibbana