sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Será que estamos mesmo vivos?

e então ela se foi. acabo de saber que ontem, as 23horas, enquanto eu assistia a um show de música, onde o cantor perguntava à platéia enlouquecida: "Vocês estão vivos?" ela não estava mais. não sei explicar o meu sentimento nesse momento. faz tempo que eu aprendi (?) a lidar com isso e que não me sinto mais culpada quando estou na rua, vivendo, me divertindo, fazendo algo de bom e sorrindo quando alguem está em uma cama de hospital lutando pela vida e dividindo comigo suas angústias. Eu carrego as angústias comigo mas elas não podem ser as minhas, caso contrário eu não conseguiria viver. e daí eu entendo porque há poucos minutos eu escrevi o post "não sei, tô cansada". Porque eu me canso da provisoriedade da vida, porque eu me canso das coisas inexplicáveis, porque eu me canso de não ter as respostas, porque eu me canso de lembrar todos os dias que somos mortais, que somos seres onipotentes que julgamos ter controle sobre nossas vidas quando não controlamos nem mesmo nossos próprios corpos. eu me canso dessa roda viva não parar nunca. eu me canso pelo fato da minha mente não parar nunca, pelo fato de eu ter consciência das coisas, pelo fato de eu saber que não sei tanta coisa, pelo fato de eu saber que vou morrer e sempre vou ter deixado alguma coisa para trás. eu sei por que eu tô cansada. eu to cansada porque a vida é assim implacável. e porque ainda assim eu não desisto e faço de tudo para que os outros não desistam. E ainda assim, essa vida é assim finita e pueril e eu sempre agradeço por estar respirando. que ela vá em paz e que tenha encontrado alguma resposta para tudo isso. e que eu me absolva da minha limitada compreensão, da minha covardia frente aos meus medos tão bobos, porque o maior desafio de todos é simplesmente começar um dia e acabá-lo bem.

9 comentários:

.Leonardo B. disse...

[não é o jogo da vida que é desinteressante; as regras é que estão sempre desactualizadas dão chatas e viciadas... caso contrário, haveriam muito mais espectadores entusiastas]

um imenso abraço, Luciane

Leonardo B.

Dona ervilha disse...

Eu estava justamente fazendo uma pausa e tentando não me culpar por um cansaço, tão, mas tão parecido com este que você descreve com tanta coragem. Sim, Lu, talvez o grande desafio seja mesmo este de começar e terminar um dia bem. Juro que também gostaria de pensar bem menos em tudo. Mas nunca consegui. Um beijo e fica bem.

Marcos Satoru Kawanami disse...

talvez deva ler a Bíblia.

pensar disse...

VIvendo ou sobrevivendo?
Fazemos a escolha, e que se colham os frutos.
E o que nos espera no proximo passo?
Quem sabe soh estamos vivendo quando perdemos a nocao do tempo e as perguntas se calaram.Sera?
Sabe-se la, mas la aonde?

Bjs

Renata de Aragão Lopes disse...

"essa vida é assim
finita e pueril
e eu sempre agradeço
por estar respirando"

Lindo, lindo...

Nádia Lopes disse...

Lu querida, o maior desafio de todos é continuar e vencer o cansaço e as perdas, SER apesar de...
beijo grande-cuida bem de ti

Anônimo disse...

[ Tu és uma criatura especial.Quanto mais crescemos maoir é a necessidade de purificar os nossos excessos.Eles se dão em todos os detalhes de nossa personalidade, desde a nossa compreensao mais simples até às compreensoes mais elaboradas. Abraço.

J.F. de Souza disse...

caramba... saudade de um tempo que eu pensava ser capaz de escrever assim... cara, como esse tipo de escrito mexe comigo...

eu queria poder desenrolar todos esses fios que você trançou aqui, neste escrito... mas só consegui soltar isso aqui:

de todos os desejos

=*

Carlos Bayma disse...

Já senti isso. As semelanças são muitas.
Seu blog é muito bom!