segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Crepúsculo

Morrer é fácil.
Difícil é a vida.

Difícil é saber que, ao fim do dia, somos sempre nós em confronto com nós mesmos, com nossos fantasmas, nossos limites, nossos medos infantis. Dificil é poder estender a mão, pedir colo, saber ouvir um não, saber ouvir a crítica.

Fácil é desistir, reclamar, protestar por protestar. Fácil é ser vítima.

Como dói descobrir-se, abandonar o que éramos. Como dói a saudade do conforto e o medo do futuro incerto. E por que não dizer, o medo de ser feliz, irresistivelmente e despudoradamente feliz.

Há de valer a pena

2 comentários:

Henrique Crespo disse...

Como diz o poeta: Viver é um dádiva fatal.

Há de valer a pena... Que assim seja.

Luciane disse...

Amém, Rick. Amém!