segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Que eu seja...

De menos ingenuidades, mas sem perder a pureza

De menos raivas, mas sem perder agressividade para a luta

De menos temores, mas sem perder a prudência

De mais amor, mas sem perder quem eu sou

De mais roupas dobradas, mas sem perder a preguiça

De mais lavanda, de mais açucar, de mais beijos

De menos medo, menos palavras perdidas, menos silêncios

Que eu seja toda carne, toda sonho, toda.

6 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Sugeriu um debate interessante, Lu:
como a mulher deve encarar
os desafios da vida contemporânea
sem perder a feminilidade.

No meio de tanta correria,
como manter o batom? : )

Um beijo, querida!

Marcos Satoru Kawanami disse...

enfim, que eu seja.

Alexandre Boarro disse...

Que sejamos todos loucos sempre.
Que possamos ser sempre nós mesmo e com nossa medidas. O limite dos outros realmente importa, mas devemos ser sempre sem limites. Sem limites para sorrir, chorar viver e sonhar. A vida ensina, mas vivendo a gente acaba aprendendo muito mais.

beijos adorei o blog

Anônimo disse...

A mente é sempre a construtora da vida, oferecendo a energia com a qual sao condensados os anseios e as necessidades de todas criaturas.

Lara Amaral disse...

Amém, Lu. Bons desejos para começar o novo ano.

Beijos!

Nádia Lopes disse...

Sim Lu, que sejamos todos esses teus desejos e assim mais inteiras e felizes como merecemos!
beij grande